A arte da tecelagem manual com Alexandre Heberte - FestA!





#Festa! #festivaldoaprender #tecelagemmanual #alexandreheberte

#fiberart #textileart #textileartiste #sesccampinas #sescipiranga

#oficiodetecelao

Oficio de Tecelão Alexandre Heberte

Desde agosto do ano passado que me preparo para realização dessa Agenda Maravilhosa.
Hoje compartilho oficialmente com vocês, será um grande prazer quem puder estar celebrando juntos, então todos convidados!
02 de março @sescspcampinas
Com Convite a Tecer das 16hs as 21h e abertura da instalação Cortejo Tecido
...
03 e 04 de março @sescipiranga
Com trama coletiva: para tramar juntos, criar tecituras hibridas e experimentar vários caminhos texteis, gratuito, das 13h30min as 17h30min.
As atividades fazem parte do FestA - Festival do Aprender SESC
...
06 de março abertura exposição ENTRE-LAÇADOS, as 18hs no @museuacasa
Com @marinagodoy_art @renatodib @matrancoso #alexandreheberte
Foto @angelomigue

 


A arte da tapeçaria


Detalhe da trama tapeçaria Noberto Nicola

Detalhe da trama Jacques Douchez

Noberto Nicola e Jacques Douchez lançaram o Manifesto Forma Tecida, cinquenta e sete anos atrás. Juntos queriam desenvolver uma nova dimensão criativa aplicadas a arte da tecelagem. Talvez não seja um exagero dizer que eles revolucionaram a arte têxtil brasileira.

Com teares podemos produzir tecidos: grossos, finos, poderosos tapetes de lã, ou tramas hibridas. Podemos fazer arte e artesanato, mas independentemente de ter uma função ou não, o caminho de produção é o mesmo, trata-se sempre do processo de montar um urdume e de construir uma trama sobre ele. A técnica mais próxima da tecelagem é a da tapeçaria. A arte da tapeçaria é feita num bastidor muito parecido com um dos tipos de teares: o tear vertical. Esse bastidor de tapeçaria não usa o mecanismo de abertura da urdidura (ele não tem a cala para passar o fio da trama). Essa é a diferença: pode-se tecer um tapete num tear, de preferência que tenha um pente de contrapeso, mas não se pode fazer um tecido clássico para alfaiataria num bastidor de tapete; poder até pode, mas seria trabalho insano.

Noberto e Jacques elevaram a tapeçaria do plano bidimensional, para o plano tridimensional. Eles queriam uma nova forma de tecer, diferente do que vinha sendo praticada no Brasil: tapeçaria plana, geralmente baseada em cartões de outros artistas, limitando o universo criativo do artesão tecelão artista. Com o manifesto eles queriam tratar da arte da fibra ampliando todas as possibilidades de uso e qualidades, produzindo camadas reflexivas e questões do tempo presente: tensão, volumes, comportamento, cor, texturas, curvas, corpo e espaço. etc. Conseguiram!

Tive a honra de visitar a incrível casa do Noberto Nicola, localizada na Alameda Glete, graças aos Mestres e artistas têxteis Eva Soban e Juan Ojea. Assim como tive a honra de conhecer enquanto vivo, o Jacques Douchez, em sua casa na Av. Angélica, graças a um projeto que a tecelã Nádia Resende desenvolvia na época, que era visitar ateliês de artistas têxteis em atividade.
Artistas Eva Soban e Juan Ojea

Eles continuam sendo grande fonte de inspiração para mim. Quando descobri seus trabalhos, minhas tecituras deram um salto!

Recente visitei a Galeria Passado Composto Século XX, da maravilhosa Graça Bueno. Mesmo em reunião de trabalho, foi de uma gentiliza e carinho comigo. Amo! O lugar é maravilhoso. Um banho de história da tapeçaria artística brasileira dos últimos anos. Tanto das tapeçarias realizadas em teares manuais, tanto de tapeçarias construídas em bastidores. Reserve tempo e visite com calma, pois vale muito a pena, além do grande acervo, o lugar ainda oferece um vasto material de pesquisa, apresentados na nova exposição em cartaz: Artistas da Tapeçaria Moderna II, em cartaz até 20 de janeiro de 2017. Parabéns Graça Bueno. Parabéns Eva Soban. Amei seu trabalho apresentado na exposição.



Eva Soban








A galeria Passado Composto Século XX fica na Alameda Lorena, 1996, Jardins




#dicadepasseio #refletor #alexandreheberte #melissameiofio #saopaulo #brazil #jardins #consolacao
#passadocompostoseculoxx #artedasfibras #textileart #fiberart #artedatecelagem


Exposição TENET Paraty Eco Festival 2016

Acho que a exposição TENET durante o Paraty Eco Festival foi uma das melhores dentre suas quatros edições (2011, 2012, 2013 e agora 2016); todos os artistas ficaram inspiradíssimos com o tema da vez: Festa em Paraty. A maioria dos trabalhos estão em grande formato, de encher os olhos, e lavar a alma. O espaço onde a exposição está acontecendo até dezembro próximo na Casa de Cultura Câmera Torres fica no Centro Histórico da cidade, é um casarão lindo. Parabéns a Renato Imbroisi, Juan Ojea e Marta Meyer pela curadoria e ideia de levar exposição a Paraty. Parabéns toda equipe do Paraty Eco Festival. Parabéns Ro Carmona, Liana Bloisi e toda equipe de montagem. Obrigado Ana Cordeiro e Cristina Sant'Anna pela acolhida linda. Parabéns a todos artistas, artesãos e designers participantes. Foram dias de convivência incríveis, além das palestras maravilhosas com Renata Mellão, Heloisa Crocco, Dudu Bertholini, entre outras. E eu, ainda desfilei para Lena Santana, Dhapne Segal. Um desbunde de viagem. Abaixo minhas imagens de bordo dessa navegação que deixou a todos com gosto de queremos mais.

Artista: Eloísa Marques (Elo), Paraty, RJ Título: Exú, Ano 2016

Artista: Renato Imbroisi e Artesãs do Muquém, São Paulo, SP e Muquém, MG. Título: Festa do Muquém, Ano: 2016

Artista: Miko Hashimoto, São Paulo, SP. Título: A mulher que não sabia o que queria e a galinha, ou será um pombo? Ano: 2016

Artista: Luly Vianna, São Paulo, SP. Título: Os Ramos do Amanhã, Ano: 2016 - produção da Associação Xique-xique de Pedro II.


Artista: Mara Doratiotto, São Paulo, SP. Título: " DIVINO", Ano: 2016

Artista: Mônica Herkenhoff, Brasília, DF. Título: Instalação de quadros – “Fragmentos de Jardim”, Ano: 2016.


Artista: Mônica Severo, Brasilia, DF. Titulo: Ciranda das Flores (colar têxtil, joalheria contemporânea), Ano 2016.


Artista: Carmen Netto. Titulo: São ou Serão Pedro e Paulo. Gramado, RS. Ano 2016



Artistas: Cristiana Pereira Barreto e Heloisa Beldi, São Paulo, SP. Ano 2016

Artistas: Ana Perrone, Christy E. Schimitt, Dinorá Bohrer Silva, Lenir Romero, Liliana Moeller, Marília Perrone Lindmann, Maria Luiza Pizzato, Maria Rita Webster,   Nina Rosa Klein e Rachel TamarGurski – Porto Alegre, RS. Título: Procissão de Nossa Senhora dos Navegantes (obra coletiva), Ano: 2016.

Artista: Renata Meirelles, São Paulo, SP



 


Artista: Patrícia Tavares, Rio de Janeiro, RJTítulo: Santa Rita. Ano: 2016. 

Artista: Thereza Corbett Garcez, Santana de Parnaíba, SP. Título: Profano Sagrado, Ano: 2016

ARTISTA: Cris Burger, São Paulo, SP. Título: Feliz Ano Novo, Ano: 2016

Artista: Helena Carvalhosa, São Paulo, SP. Título: Bambolê. Ano: 2016

Artista: Marta Meyer, São Paulo, SP. Título: Paraty de todas as festas, Ano:2016. (esquerda)


Artista: Alexandre Heberte, São Paulo, SP. Título: Caminho do Ouro III, Ano: 2016 (primeiro plano).


Artista: Jacqueline Chiabay, Espirito Santo. Título:  Divino do Espirito Santo, ANO: 2016.






Artista: Renata Meirelles, São Paulo, SP. Título: Ciranda 9


Artista: Juan Ojea, Itapecerica da Serra, SP. Título: Serie Fio Condutor - O Divino e o Terreno unidos por um cordão de Sangue, Ano: 2016. (a esquerda da foto).


Artista: SONIA MOELLER, Nova Petrópolis, RS Título: "Olho de Pássaro" (Estudo para fantasia de Carnaval), Ano 2016.


Artista: Claudia Mattos, São Bento de Sapucaí, SP Título: Bandeiras, Ano 2016



Artista: Baby Gras, São Paulo, SP Título: Cortejo, Ano: 2016.








Artista: Marina Godoy acompanhada de Rui Versiani.


Artista: Lúcia Higuchi, São Paulo, SP. Título: Ode ao Divino Espírito Santo. "O vento marinho desliza pelas ruas estreitas banhando os olhares fervorosos da procissão. Os raios de luz destacam os detalhes cintilantes. A fé lava as ruas neste dia solene". Ano: 2016



Artista: Hedva Megged, Rio de Janeiro, RJ. Título: Decô e Sombras, Ano: 2015/2016






Cristiana Pereira Barreto

Presenças lindas de Flavia Aranha e Renato

Coletivo POA (Maria Rita a direita)

Artista: Rosane Morais, Porto Alegre, RS. Título: Entre o Céu e o Mar, Ano: 2016


Thereza Garcez.

Marta Meyer e Miko Hashimoto

Miko Hashimoto

Artista Helena Carvalhosa

Artista Tânia Stahl ao lado da sua obra: O Melhor Lugar do Mundo, Ano: 2016

Presença linda de Sabrina Morais admirando trabalho da artista Mirian Andraus Pappalardo

Público aprecia obra da Artista: Miriam Andraus Pappalardo, São Paulo, SP. Título: Vapor. Ano: 2016 



Contatos

www.alexandreheberte.blogspot.com
peixesempeixes@gmail.com
https://www.facebook.com/arteetecelagem

Instagram

(11) 98780.6173
São Paulo, SP.